Mia Couto integra evento literário em Foz

Escritor moçambicano fala ao público durante encontro na Unioeste

 

O 2º Festival Literário de Foz do Iguaçu e Primavera Universitária apresentam a mesa: 

“Uma língua, vários mundos”, com o escritor Mia Couto, e mediação da Professora Doutora Luciana Vedovato, nesta sexta-feira,13. 

 

O escritor moçambicano é o mais traduzido no exterior e suas obras publicadas em 24 países. Vencedor de prêmios como o Camões (2013) e Neustadt Prize (2014), Mia Couto assina farta produção da poesia, prosa à literatura infantil. O romance “Terra Sonâmbula” foi considerado um dos melhores livros africanos do século XX. 

 

A mediadora, Luciana Vedovato é graduada em Letras pela Faculdade Estadual de Campo Mourão-PR. Mestre em estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina, doutora pela Universidade do Rio Grande do Sul, no programa de pós-graduação em Letras – Estudos do Texto e do Discurso e professora efetiva do colegiado de Letras, na área de Linguística e do Programa de Pós Graduação em Sociedade, Cultura e Fronteiras da Unioeste.

 

O encontro, aberto ao público acontece nesta sexta-feira, 13, às 19h30 no Auditório Alcebíades Luiz Orlando, no Campus da Unioeste/ Foz (Av. Tarquínio Joslin dos Santos, 1300 – Lot. Universitário das Américas).

Para a realização do encontro Unioeste contou com a Prefeitura Municipal de de Foz do Iguaçu através da Fundação Cultural, além do apoio da Cia das Letras e apoio institucional do SESC.

 

Impressões

 

As ações interligadas entre eventos literários e a política do livro, leitura, literatura e biblioteca adotada pela Fundação Cultural, recebeu este ano novos reforços. Entre eles o diálogo mais próximo. “Ano passado surgiu a ideia do Festival Literário, desde então estamos costurando os eventos literários e como podemos convergir todos  – inclui-se também parceiros como as universidades e o SESC – para uma política voltada à comunidade”, comentou o diretor presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues. 

 

O convite a Mia Couto, surgiu como uma dessas iniciativas. “O nome do Mia Couto já havia surgido em conversa com os livreiros e também com o público durante a edição de 2018 da Feira do Livro. Como ele estaria entre as atrações na feira deste ano,mas tivemos a alteração da data, aproveitamos a vinda dele ao Brasil para reforçar o convite, e através de esforços da diretoria de cultura, conseguimos sua presença para essa participação dentro do Festival”. 

 

A vinda do escritor, segundo Rodrigues, reforça a política do livro, leitura, literatura e biblioteca desenvolvida em projetos como a Estação Cultural, Eu, você e uma história, as Gelotecas e o Roda Livros, já desenvolvidos pela Fundação Cultural. Além disso, fomenta uma importante vertente do turismo cultural. “Temos apostado nessa questão e encontrado na vinda de escritores, uma maneira eficiente de atrair e integrar o público não só da cidade”

 

Para o reitor da Unioeste, Fernando José Martins, a presença do escritor dá nova atenção aos eventos que antecedem a Feira do Livro.. “Ficamos honrados em tê-lo nas atividades que envolvem o Festival e a Primavera. Nos coloca no mesmo patamar de grande movimentos literários que acontecem no mundo tendo pessoas de referência nessa natureza”. 

 

O exercício das parcerias que permitiram a realização de ambos eventos, foi também elogiada pelo reitor. “A Primavera é um evento necessário, que sedia vários eventos e faz ponte entre universidade e comunidade e isso é possível devido a parcerias, assim como essa junto à Fundação”. Para ele, a opção pelo escritor celebra  também uma das funções mais importante da universidade junto aos parceiros; a integração com a comunidade.