Roda de Conversa marca encerramento de oficinas em Clubes de Mães

Projeto A Vida no Lago trouxe representantes de clubes de mães para confraternização e bate-papo com organizadores

 

Uma Roda de Conversa reuniu na Fundação Cultural, as integrantes do projeto A Vida no Lago para celebrar o encerramento das atividades. A iniciativa levou a bairros mais carentes oficinas de artesanato e empreendedorismo.

 

O projeto da Coart, integra a lista de aprovados em edital do Fundo Municipal de Incentivo Cultural (Lei Municipal n.3645 de 10 de dezembro de 2009). O FMCI integra o Sistema Municipal de Cultura, sob gestão da Fundação e do Conselho Municipal de Políticas Culturais.

 

Ao longo do primeiro bimestre foram ministradas cinco oficinas em cinco clubes de mães, atingindo cerca de 75 mulheres. Antes de chegar aos bairros, o produto com iconografia local foi criado pelos artesãos. O passo seguinte foi preparar as oficinas e repassar os ensinamentos. “É fundamental que o artesanato tenha essa marca local para que possa ser representativo”, disse Nilse Mognol, presidente da Coart. 

 

Da Roda de Conversa também participaram o diretor presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues e Rosa Gerônimo, secretária extraordinária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade, além de coordenadores.  

 

“Está sendo preparado um novo edital para para que trabalhos assim, dentro das comunidades, que levem a cultura até os bairros, possam continuar sendo feitos”, disse Rodrigues. Para Rosa, o empreendedorismo pode representar muitos ganhos às mulheres, além do conhecimento artístico. “Acredito que o trabalho conjunto é o melhor meio para o crescimento cultural. É um começo também para a questão da autonomia  para mulheres, porque passa pela questão financeira, pelo trabalho”. 

 

As mães integrantes dos clubes foram representadas por 25 mulheres. Maria Dalmacia Alves, do Clube de Mães Força e União da Vila Resistência veio ao encontro para conhecer as mentoras da ideia. “Muito importante receber essas oficinas. Os clubes representam muito para quem vive nas comunidades , e a participação é muito boa”. 

 

Toda a produção dos clubes durante as oficinas foi encaminhada à loja dos Clubes de Mães localizada no Terminal de Transporte Urbano. Segundo as coordenadoras, 80% do que foi produzido pelas mães durante as oficinas já foi comercializado no local.