Conselho do Patrimônio histórico tem novo presidente

Desafios incluem análise de pedidos para tombamento e participação efetiva de representantes de entidades

 

Desde a última semana de de junho o Conselho do Patrimônio Histórico Cultural conta com uma novo diretor. Marcelo Alberto Spies, segundo presidente do Conselho, assumiu a cadeira deixada por Marco Vitorino, da Unila. 

 

Spies, representante da secretaria de Turismo, já integrava a diretoria eleita em 2018 com a criação do Conselho e deverá atuar com foco na análise dos pedidos de tombamento encaminhados, e na atração dos membros representantes de entidades que integram o conselho. 

 

“Estamos com uma expectativa grande à frente do conselho, mesmo porque precisamos envolver os integrantes para ações mais efetivas do conselho”, disse. Para ele, o volume de trabalho demandados por outros setores também deverá aumentar, assim como a procura pelo tombamento de bens materiais e imateriais. “Temos pouca estrutura por isso os desafios  são grandes , mas queremos contar com a motivação de todos os membros”. 

 

O Conselho foi instituído há pouco mais de um ano, e a nova lei do tombamento veio em 2016, com melhorias em 2018. “Passamos por um período de inoperância em outras administrações, mas nesta, estamos reativando. O conselho é instituição política que depende dessa vontade, mas precisamos fortalecer bens históricos e culturais do município.

 

No total, 16 entidades estão representadas no Conselho, que é deliberativo e consultivo. 

Preservar

Pedidos para tombamentos já foram recebidos pelo conselho, agora, segundo Spies é hora de reunir os integrantes para uma análise detalhada de cada pedido. Num deles, está o pedido para proteção da história do colégio Bartolomeu Mitre. “Há o pedido para que não somente o prédio seja preservado, mas o que tem relevância histórica no contexto sociocultural  do município”. Outro pedido que está em análise pelo grupo é do obelisco, o Marco das Três Fronteiras.

As reuniões do conselho são abertas ao público e acontecem na segunda sexta-feira de cada mês, sempre às 15h.