Ministério da Cidadania lança o Prêmio Culturas Populares 2019

Este ano, a premiação que reconhece a diversidade cultural brasileira presta uma homenagem ao cantor, compositor e ator gaúcho Vitor Mateus Teixeira, o Teixeirinha. O Prêmio foi criado em 2007 pelo então Ministro da Cultura Gilberto Gil, e já premiou mais de 2 mil mestres da cultura popular.

Estão abertas até 16 de agosto as inscrições para o sétimo Prêmio Culturas Populares, que vai dar R$ 20 mil a 250 mestres, mestras ou Pontos de Cultura que estimulem e valorizem as expressões culturais, como o cordel, o frevo, a quadrilha, o maracatu, a capoeira, as culinárias regionais e o bumba meu boi, entre muitas outras.

Inscrições:

As inscrições devem ser realizadas através do site do prêmio. Recomendamos ler atentamente os editais para identificar sua categoria.

Categorias:

Mestres e Mestras – (pessoas físicas) (150 prêmios);
Pessoas jurídicas sem fins lucrativos com finalidade ou natureza cultural, já reconhecidas como Pontos de Cultura ou cadastradas na Plataforma Rede Cultura Viva (90 prêmios);
“Cotas para iniciativas acessíveis”. Pessoas jurídicas com ações comprovadas em acessibilidade cultural, também reconhecidas como Pontos de Cultura ou cadastradas na Plataforma Rede Cultura Viva (10 prêmios);
Os premiados nas edições de 2017 e 2018 não poderão concorrer ao prêmio neste ano. Os interessados podem apresentar uma única inscrição em apenas uma categoria.

A premiação

Dentre os critérios de seleção estão a troca entre diferentes gerações que o saberes e fazeres da cultura popular tenham proporcionado, a relevância e a contribuição sociocultural das práticas nas comunidades em que são desenvolvidas e a capacidade de perpetuação e preservação dessas atividades tradicionais, gerando emprego e renda, entre outros. O equilíbrio regional também é um dos critérios estabelecidos pelo prêmio. Cada região brasileira terá 50 premiados.

A avaliação das propostas será feita por uma comissão designada especificamente para o prêmio, composta por profissionais de reconhecida atuação e conhecimento na área das culturas populares, técnicos e servidores do Ministério da Cidadania e de instituições parceiras. A comissão terá 30 membros, sendo 15 titulares e 15 suplentes.

O homenageado

“Minha música tem cabeça, barriga e perna”, Teixeirinha.

O gaúcho, que ficou órfão aos nove anos de idade, nunca chegou a ter educação formal, aprendeu com a vida. E foi compartilhando esse aprendizado por meio de seus filmes, das letras de suas mais de 700 canções, que ele tocou o coração do povo e se tornou um ícone da cultura popular do Rio Grande do Sul e, por que não, do Brasil. (Fonte: Ministério da Cidadania)