Fundação e Unila oferecem curso gratuito de teatro intercultural

Curso inicia neste sábado (19), das 09h às 12h, na Fundação Cultural; inscrições podem ser feitas na própria instituição

Como o teatro pode contribuir para a aprendizagem de línguas e melhorar a comunicação numa região multicultural? Essa é uma das propostas do Projeto “O Teatro no Ensino Plurilíngue e Intercultural”, que realizará a partir deste sábado (19), na Fundação Cultural, um curso gratuito de teatro com foco na utilização das artes cênicas para integração entre a diversidade cultural da América Latina.

O curso que tem duração de três meses funcionará sempre aos sábados pela manhã, das 09h às 12h e é voltado a artistas e comunidade de toda região trinacional.  No total, são ofertadas 20 vagas e para participar é preciso ter no mínimo 18 anos de idade. As inscrições podem ser feitas na própria instituição ou pelo telefone 35211511.

A atividade integra um projeto de extensão da Unila chamado “O Teatro como ferramenta do espanhol”, desenvolvido pelo diretor e dramaturgo venezuelano, José Castillo, que integra o mestrado em Literatura Comparada da Universidade da Integração Latino Americana. O programa do curso conta com aulas de técnica de voz, expressão corporal e leitura dramatizada.

De acordo com Castillo, “a proposta é sensibilizar e refletir sobre a utilização do corpo em espaço cênico e suas possibilidades, assim como trabalhar a palavra e sua realização individualmente e coletivamente. O objetivo é ainda o de refletir e desenvolver a habilidade da comunicação em contexto plurilíngue e intercultural”.
Castillo é um dos nomes das artes cênicas que se dedica aos estudos da dramaturgia latino-americana. Diretor da Companhia El Incinerador, da Venezuela, ele é autor de importantes produções que primam pela experimentação estética latina. Dentre as obras produzidas, estão: YORICK (2016), Medea(2015), Fresa (2013), Fusil (2013), Zuela (2012), Riñón (2012), HÍGADO o el último viaje de Odiseo (2011), Amalivaca (2011), Quiero ser John Lennon (2010), Ni me interesa (2009) e Una casa tomada (2008).