Neste domingo (22), “Chorando em Guarani” é atração da Feirinha da JK

Apresentação é uma homenagem ao Dia Nacional do Choro e também ao centenário de um dos expoentes do gênero, Jacob Bandolim

Em homenagem ao Dia Nacional do Choro e ao centenário de Jacob Bandolim, um dos maiores expoentes do estilo, a Fundação Cultural e o PTI oferecem a apresentação musical “Chorando em Guarani”. A roda de choro acontecerá neste domingo, a partir das 9h30, na Praça da Paz, e se soma à diversidade cultural da Feirinha da JK.

“Chorando em Guarani” traz à Praça da Paz toda a brasilidade de um estilo que marca a cultura popular e a identidade musical do país. A apresentação integra um projeto de roda de choro e samba que reúne instrumentistas da cidade com interesse de fazer música de qualidade e compartilhá-la com moradores e turistas.

Coordenado pelo músico intrumentista Fábio Del Antonio, o projeto conta com um repertório de 21 composições instrumentais e revive os grandes clássicos do gênero, com destaque para Pixinguinha e Jacob Bandolim, duas importantes referências do estilo e da música popular brasileira.

“Noites Cariocas”, “Benzinho” e “Doce de Coco” dão o ritmo moderno e alegre das composições de Bandolim, que marcaram a cena musical brasileira da década de 50 e 60. A roda de choro também transportará o público para a história do estilo musical. É o que garante Del Antonio.

“É uma cronologia musical, mas que homenageia o centenário de Jacob Bandolim, com composições da década de 50 60, com uma sonoridade mais moderna, alegre”, explicou o músico que promete mais novidades nas próximas apresentações, com integração da música latina no repertório.

A atração marca a homenagem ao gênero musical que está acontecendo em todo país. São duas comemorações: ao Dia Nacional do Choro, celebrado dia 23, em homenagem ao aniversário de Pixinguinha e ao centenário de Jacob Bandolim. “Foz vai ter sua homenagem ao estilo”, comentou Del Antonio.

Agenda Cultural

A atividade é mais uma parceria envolvendo a Fundação Cultural e o PTI –Parque Tecnológico Itaipu – que integra a agenda cultural das instituições. De acordo com a diretora cultural, Vera Vieira, “Chorando em Guarani” oferece à comunidade um trabalho inédito feito na cidade, que é o choro, e mais do que isso, imprime o olhar da fronteira para o estilo, fortalecendo e incentivando a produção artística da região”, comentou.