FOZ DO IGUAÇU TEM ENCONTRO MARCADO COM O CARRO MAIS QUERIDO DO MUNDO NESTA SEXTA-FEIRA

Edição noturna da Feira da JK comemora Dia Nacional do Fusca com capoeira, música, exposições de carros antigos, motos e muito mais

 

Sergio Ferreira já está preparado para homenagear seu xodó, um fusca de cor azul, ano 1969. Ele é um dos amantes de carros antigos que vai participar da edição especial da Feirinha da JK que acontecerá nesta sexta-feira (19), a partir das 19h, na terceira pista da avenida.

Presidente do grupo VW Air de carros antigos, Sergito, como é conhecido, também está convidando todos que tenham um fusca ou um carro antigo para exporem no local.

“Venham participar, tragam seu carro, a feira vai estar repleta de novidades e vamos homenagear o fusca, vai estar muito bacana. A festa é de todo mundo”, comentou.

A comemoração pelo Dia do Fusca marca mais um teste piloto para ampliação do atrativo nas noites de sexta-feira. Depois de ganhar edições nos feriados, a Fundação Cultural juntamente com a coordenação da feira, está apostando no sucesso das edições noturnas.

O coordenador Rafael Dalla Rosa, fala que o objetivo é criar feiras temáticas. “Estamos sempre variando as temáticas da feira para oferecer à comunidade novidades e oportunizar as pessoas um espaço para expor as coleções, as atrações artísticas e assim criar uma importante rede de convivência. Desta vez, a feira é dedicada aos amantes do Fusca, então, estamos convidando quem tem Fusca ou coleciona o carro para abrilhantar o evento”, comentou.

Além de comemorar o Dia Nacional do Fusca, celebrado todo dia 20 de janeiro, essa edição traz a diversidade que já conquistou a comunidade da região: artesanato, gastronomia variada, produtos orgânicos fresquinhos e oriundos da agricultura familiar, além das atrações artísticas. O coletivo de Artistas de Foz do Iguaçu promete encantar o público com música de qualidade.

Nesta primeira experiência, a feirinha também vai receber a exposição de motos das Felinas da Fronteira e do VW Air Clube, alem do grupo de carros antigos de Foz e da roda de capoeira do grupo Camboatá.

Reestruturação

A reestruturação e valorização deste projeto tem surtido excelentes resultados para a comunidade e para os feirantes. A prefeitura, através da Fundação Cultural e da coordenação da feira, está ampliando oportunidades para geração de emprego e renda, e oferecendo à comunidade um importante espaço de lazer e celebração da diversidade cultural.

“Estamos comprometidos com uma visão desenvolvimentista e humana da cultura. Priorizar as feirinhas e o projeto Feira Livre das Nações é uma das principais estratégias para fortalecer a arte, a cultura, e dar oportunidade para os pequenos agricultores, os artesãos e os artistas locais”, explicou o Diretor Presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues.