01
dez
Festival de Cultura
16:00 até 20:00
01-12-18

Evento acontecerá neste sábado (01), a partir das 16h, na Praça 7 de Setembro, no Morumbi

O Festival de Cultura chega a sua sétima edição com uma novidade: neste ano, o evento que reúne a produção musical da região vai acontecer em uma praça a céu aberto. A mostra gratuita será realizada neste sábado, 01, a partir das 16h, e vai levar para a Praça 7 de Setembro dez shows de vários estilos musicais.

O Festival de Cultura é uma realização do Coletivo Morumbi e da Acclaleste – Associação Cultural de Comunicação Comunitária Livre e Alternativa da Região Leste de Foz do Iguaçu – apoio do Coletivo Underground e da Fundação Cultural.

Além ir para um espaço aberto, a mostra também reflete a integração da diversidade cultural da região. Bandas alternativas de rock como Mil Réis dividem palco, por exemplo, com grupos de sertanejo. Um Dj também vai marcar o clima eclético do evento, e tocar desde músicas “flash back” ao funk.

Acesso

O evento que surgiu a partir da mobilização de artistas da cena cultural alternativa sai dos espaços fechados para a praça para tornar ainda mais acessível uma produção musical marcada pela diversidade. É o que explica um dos coordenadores, Giovani Fagundes. “É a primeira vez que o festival acontecerá numa praça dentro de um bairro, essa decisão se deu por conta da necessidade de se levar apresentações culturais às pessoas, ir até elas. E também atrai mais pessoas para prestigiarem os shows”, explicou Fagundes.

Tornar visível, garantir o acesso e inserir a arte e a cultura no cotidiano das pessoas são os propósitos que marcam uma nova política de descentralização de cultura. O Festival de Cultura assim com o Projeto literário “Eu, você e uma história – encontros comunitários com a literatura” fazem parte deste processo de inclusão da arte na vida dos cidadãos.  Para a diretora de cultura da Fundação Cultural, Vera Vieira, “o Poder Público está comprometido em promover o encontro das pessoas com a produção cultural da região trinacional, valorizando o artista e mais do que isso, inserindo a arte no cotidiano das pessoas”.